Autoridades na Maçonaria Brasileira.
Documentos.
De uso.
Você está em : Academia Paranaense de Letras Maçônicas.
RESUMO HISTÓRICO : - Cadeira 05 - Aristides Lobo.

 

Aristides da Silveira Lobo – Cadeira 05.

 

Maçon Livre, segundo A.T. Cavalcanti D´Albuquerque em sua obra, tendo participado como Ministro do Interior no primeiro Governo Republicano.
Advogado, Jornalista e Político Brasileiro.
Concluiu o Curso Jurídico em 1859. Iniciou-se na política como Deputado-Geral (1864-1866).
Foi Promotor Público da Corte. Republicano desde a juventude, foi um dos signatários do Manifesto de 1.870.
Integrante da conspiração que resultou a queda do regime. Ocupou a Pasta do Interior no Governo Provisório. Integrante da Constituinte Republicana; entrou para o Senado em 1892. Jornalista de mérito, redigiu no Recife o ïris Acadêmico e no Rio de Janeiro, A Republica.
Colaborou em O CRUZEIRO, no Diário Popular e na província de São Paulo."
( Transcrito do Livro "Biografia de Maçons Brasileiro", de Renato Mauro Schramm, pág. 35. Edição 1999 )

Nasceu no dia 12 de fevereiro de 1838 e faleceu dia 23/07/1895. Era filho de Manuel Lobo de Miranda Henriques e D. Ana Norberta da Silveira , filha do Tenente Coronel Francisco José da Silveira, um dos mártires paraibanos da Revolução de 1817. Passou a infância no Estado de Alagoas, onde estudou e iniciou a sua vida pública, sendo, por este motivo, considerado por alguns biógrafos, natural daquele Estado, equívoco desfeito por Oscar de Castro e Luiz Pinto, que afirmam, bem fundamentados, ser Aristides Lobo paraibano, nascido no Engenho Tabocas, município de Cruz do Espírito Santo . Aristides Lobo bacharelou-se em Direito pela tradicional Escola do Recife. Durante a Monarquia, foi Deputado Geral, de1864 a 1870 e Promotor Público da Corte. Foi Ministro, no Governo Provisório (1889/1890), Deputado à Constituinte, Senador Federal de 1892/1895. Deixou o Partido Liberal integrando-se ao Partido Republicano. Dirigiu o jornal A República, fundado em 03 de dezembro de 1870 e empastelado, em 1873, no momento em que sua equipe festejava a implantação da República Espanhola. No Governo Republicano, Aristides Lobo foi nomeado Ministro do Interior e Justiça, demitindo-se dia 10 de fevereiro de 1890, após desentendimentos com o Marechal Deodoro da Fonseca, por estar decepcionado com os rumos que a tão sonhada República estava seguindo. Sendo ele um republicano histórico, político combativo e jornalista inteligente, acima de tudo, sincero e coerente com as suas idéias não aceitava os mesmos erros cometidos no Império e apresentados, agora, sob o nome de República.
Dirigiu os jornais: A República, O Republicano, O Íris Acadêmico e O Diário Popular, de São Paulo.

Cargos Públicos
Ministro do Interior no Governo Provisório durante dois meses.
Juiz em Minas Gerais.
Profissões: Advogado, Jornalista, Servidor Público e Professor
Deputado Federal - 1891 a 1893