Autoridades na Maçonaria Brasileira.
Documentos.
De uso.
Você está em : Academia Paranaense de Letras Maçônicas.
RESUMO HISTÓRICO : - Cadeira 24 - Hermes da Fonseca.

 

Cadeira 24 - PATRONO : Hermes Rodrigues da Fonseca.

Acadêmico: Primeiro Ocupante da Cadeira nº 24 - Natan Press

Presidente da República, de 1910 a 1914.
Nasceu dia 12/05/1855.- Iniciado em 06/10/1886. -
Filho de Hermes Ernesto da Fonseca e irmão carnal de Manoel Deodoro da Fonseca.
Um dos fundadores do Grande Oriente e Supremo Conselho do Paraguai, como Grão Mestre Adjunto e Lug. Ten.
( Hist.do Supremo Conselho do Grau 33 do Brasil - Kurt Prober - pág. 145 )
"Nasceu o oitavo Presidente da República, Hermes Rodrigues da Fonseca, em Anadia (hoje Deodoro) - Alagoas, em 12-05-1855, filho do Marechal Hermes da Fonseca, irmão mais velho do Presidente Marechal Deodoro da Fonseca.
Em 06-10-1876 com 21 anos, ele foi Iniciado na Loja Ganganelli do Rio, Rio de Janeiro, então ainda sob a jurisdição do Grande Oriente Unido, de Saldanha Marinho, e que acabou incorporado ao Grande Oriente do Brasil em 18-01-1883.
Mais tarde ele se tornou membro efetivo da Loja Amor ao Trabalho do Rio de Janeiro, onde figurava com a matrícula nº 202 e onde, antes do fim do século, chegou a ocupar o cargo de Orador, tendo então o Gr.'. 18.'.. Algum tempo depois também recebeu o título de "Filiando Livre" da Loja "2 de Dezembro", Rio.
Em junho de 1909 foi elevado ao Gr.'. 30.'., em setembro do mesmo ano aos GGr.'. 31 e 32 e, finalmente em outubro de 1909 recebeu o título de S.'.G.'.I.'.G.'.Gr.'.33.'. do Supremo Conselho, tudo a pedido de sua Loja "amor ao Trabalho", que em 07-11-1910 ainda lhe deu o título de membro remido.
Num pleito dos mais agitados, o Marechal Hermes acabou vencendo as eleições para Presidente da República, contra o candidato civil RuyBarbosa, que tinha sido Maçom em eras priscas mas a renegava. Venceu Hermes graças ao apoio integral das classes armadas, mas talvez por isso mesmo, o seu governo foi logo perdendo a popularidade.
O descontentamento explodiu por ocasião da revolta dos encouraçados "Minas Gerais" e "São Paulo" e do Batalhão Naval, e para vencer a oposição que entrevava a boa marcha da administração, acabou sendo obrigado a decretar o Estado de Sítio.
Em 15-11-1910 tomou posse da Presidência, entretanto, Maçom sempre atuante, ainda a 12 de Novembro, encontrou tempo )Lastimavelmente a maioria dos Maçons alega nunca o ter...) para assistir a uma Sessão solene, que em homenagem a seu irmão organizara a sua Loja "Amor ao Trabalho", no salão nobre do Grande Oriente do Brasil, à Rua do Lavradio, no Rio de Janeiro.
Às 21:30 horas compareceu o Marechal, achando-se totalmente lotado o Templo, e vendo-se entre os presentes: Dr. Lauro Sodré, Gr.'.M.'. Dr. Pedro Toledo (Gr.'. M.'. de São Paulo), Sampaio Ferraz, Gen. Cardoso Junior, Cel Costa Ferreira, Comendador Antonio André Pessoa, Dr. Octávio Kelly, Dr. Floresta Miranda, Severiano Hermes, Cel. Sampaio Ribeiro e seu Estado-Maior, Cap.Frag. Veríssimo Costa, Cel. Honório Prado, João de Souza Laurindo pelo "Correio da Manhã", para citar só alguns poucos. Brilhou com ausência na festa, determinado figurão da Maçonaria.
Lamentavelmente uma grande parte dos Maçons não vive de conformeidade com os seus sagrados juramentos e, nunca deveria ter sido Iniciado. Fato é que uma grande parte da oposição criada contra o governo do Maçom Hermes da Fonseca, vinha de Maçons, que tinham filiado aos "civilistas" de RuyBarbosa, e aqui citaremos um fato inédito, mas que é absolutamente verídico:
Em pleno Estado de Sítio, no primeiro semestre de 1911, um conhecido Maçom resolveu "...combater a Ordem Constituída da Pátria", ao invés de usar a "espada contra os inimigos do solo pátrio", contrariando frontalmente os antigos Landmaks, que sempre dizia defender, e cujo texto deve aqui ser lembrado:
"Constituição de Anderson". Artigo II - "O Maçom deve ser pessoa pacifica, submeter-se às leis do pais onde estiver, e não deretomar parte nem deixar se arrastar nos motins ou conspirações deflagradas contra a paz e a prosperidade do povo..."

Acabou ele sendo preso em sua casa, em plena hora do almoço, e a polícia vasculhando toda a casa, menhum documento encontrou, porque a relação com o nome dos correligionários tinha sido escondida, às pressas, dentro da farofeira, que estava no meio da mesa.
Não foi julgado nem condenado, tendo a sua prisão mesmo "relaxada" algum tempo depois, em face de um pedido pessoal do Gr.'. M.'. Lauro Sodré ao Vice-Presidente da República, o Ir.'. Dr. Wenceslau Braz.
Em Sessão do CGO de 06-04-1914 este Maçom pessoalmente agradeceu ao Sob.'.Gr.'. M.'. as provas de solidariedade que lhe dera durante a prosão, e agradece também aos demais Irmãos que por ele se interessaram nos dia em que se viu privado de sua liberdade, pois sabe que o Sob.'.Gr.'.M.'. muiro se esforçou para que sua prisão fosse relaxada..."
Em 15-11-1914 o Presidente Ir.'. Hermes da Fonseca entregou o governo ao seu sucessor, o Maçom Wenceslau Braz Pereira Gomes, mas tão desapontado ficou com seus IIr.'., que nunca mais procurou o seu convívio até passar para o Oriente Eterno em 09-09-1923, quando o GOB lhe dedicou meias página em seu Registro Fúnebre, enquanto em 1910 enchera 10 páginas do Boletim para noticiar a homenagem.
A oposição "civilista", liderada por RuyBarbosa, um péssimo ex-maçom, tudo fez para ridicularizar o governo de Hermes, não respeitando nem sequer a sua vida privada, circulando a famosa mofa: "Que Hermes era careca, por causa de um beijo que a Teffé deu..." e outros ataques estúpidos.
Mas, examinando bem a história pátria, a balança comercial, etc., chega-se à conclusão, que o governo do Ir.'. Marechal Hermes da Fonseca não foi tão mal assim, o que poedria ter sido melhor, se os seus irmãos o ajudassem, ao invés de combatê-lo.
Nota importante: Na Ata da 1ª Sessão da Loja "Cruz", de Cerato, de 10-09-1871, consta a visita do Gr.'. M.'. Adj.'. do Gr.'. Or.'. do Paraguai, o Ir.'. Coronel Hermes Ernesto da Fonseca, aparentemente o pai do biografado, que veio regularizar a Loja. Esta Oficina depois foi mudada para o Brasil, formando a pedra-brase para a Loja "Pharol do Norte", de Ladário - Mato Grosso do Sul. No caso de tratar-se realmente do progenitor de Hermes da Fonseca, 8º Presidente do Brasil, fica comprovado que este vinha de familia de Maçons. (Ref-1976-335).
( Transcrito do Livro "Biografia de Maçons Brasileiros", de Renato Mauro Schramm, pág. 113 a 117 - Edição 1.999 )
Sua elevação ao cargo de Marechal dá-se em 1906, quando, então, é convidado pelo Presidente Dr. Afonso Pena a assumir a pasta do Ministério da Guerra.
Em 1910 trava-se “batalha” presidencial entre os “civilistas” ou “ruistas” e os “militaristas” ou “hermistas” – Rui Barbosa x Hermes da Fonseca. Fonseca sai-se vitorioso, inclusive sob diversos e acalorados elogios de Rui Barbosa.
Tomando posse aos 15 de novembro de 1910, é seu Vice-Presidente o Irmão Vencesláu Brás Pereira Gomes.
O Governo de Hermes da Fonseca, no entanto, não foi tão calmo, tendo historiadores, inclusive, escrito ter sido decepcionante, como menciona Nicola Aslam. No entanto, em 1914 promove diversas obras de importância.
Seu cargo é passado a Vencesláu Brás e, no mesmo ano, apesar de eleito Senador pelo Rio Grande do Sul, renuncia seu mandato.
Falece o Marechal Hermes da Fonseca na cidade do Rio de Janeiro, em 09 de setembro de 1923.

Natan Press : Primeiro Ocupante da Cadeira nº 24.